Aposentadorias de 52 mil continuam sendo pagas a ex-diretores do Banco do Brasil

Marcos Garcia

A Tribuna da Internet foi a primeira a informar que o Banco do Brasil estava patrocinando aposentadorias nababescas para seu corpo diretivo (R$ 52 mil mensais), através de seu fundo de pensão, a Previ.

O jornal “O Estado de São Paulo”, o Estadão, também passou a noticiar o caso recentemente, bem como o jornal Valor, informando que trava-se uma batalha entre os Ministérios da Fazenda e da Previdência sobre questão, vez que a Previc, agência reguladora dos fundos de pensão, é ligada à Previdência e o BB está vinculado à Fazenda.

Informa também o Estadão que o BB e seu fundo de pensão pediram prazo para cumprir a determinação da Previc, de 05/06/2013, de não utilizar recursos da Previ para pagar as aposentadorias milionárias, o que atualmente vem sendo feito.

Informação verdadeira mas incompleta, já que é a terceira vez que se pede prazo, alegando-se a impossibilidade de implementação. É estranho, pois para receber mostraram-se muito bons em implementação.

“EU NÃO SABIA”

Os petistas assumiram o “eu não sabia” para fugir das consequências de alguns de seus mal feitos. Inovando mais uma vez no descumprimento às leis, criaram agora o “peço prazo”, já informando com o pedido, por óbvio, da continuação do descumprimento reiterado de determinação de agente legal, no caso a autoridade máxima do setor de fundos de pensão.

Os prazos vão vencendo e eles, rápido no gatilho, “peço prazo”. Tivessem algum direito negado, não seria o caso de ingressarem com medida judicial?  Apostam no crescimento dos valores retroativos acumulados para que então a corda estoure no lado mais fraco, o fundo de pensão dos trabalhadores, já que os acionistas do BB irão botar a boca no trombone (já estão botando), se tiverem que pagar a conta.

Está difícil cumprir as leis? Peça prazo. Estado democrático de direito? Só quando for réu.

Está na hora do governo olhar mais para a Petrobras e seus acionistas

Flávio José Bortolotto

A Bovespa caiu 15% como um todo no ano de 2013. Vendeu-se mais do que se comprou. É de ressaltar-se que, em anos anteriores, subiu bastante, e em 2013 ocorreu correção, como breve acontecerá no mercado de imóveis. Correções são normais.

O mercado aponta que as expectativas de lucro futuro caíram bastante em 2013. Dentro dessa conjuntura, a Petrobras ainda tem dois problemas:

1- O governo PT e base aliada, que não é muito pró-mercado, como controlador da Petrobras obriga a empresa a subsidiar às suas custas cerca de US$ 10 Bi/ano, o equivalente à metade do atual lucro da Petrobras. O subsídio incide principalmente sobre a gasolina/diesel que são comprados mais caro do que vendidos na bomba, para conter a inflação. Com isso, são causados problemas também no mercado do álcool etc.

2- A Petrobras nos próximos 4 a 5 anos tem um vultoso programa de investimentos (parte do pré-sal, refinarias, etc.), que só darão retorno lá na frente. Sem poder fazer caixa normal, sobe morro acima com o freio de mão puxado. É bom para o Brasil, mas ruim para a Petrobras. A empresa ainda não está em crise, mas trabalhando no limite. Vai demorar, porém as ações vão reagir.

CAMPO DE LIBRA

Nosso editor/moderador opina que a Petrobras, tendo um caixa de R$ 40 bilhões e tendo pago R$ 6 bilhões de sua parte no bônus do campo de Libra (pré-sal, litoral de Santos), poderia explorar sozinha o campo de Libra, mas seria a um ritmo lentíssimo, cerca de 60 anos, porque tem todas as outras despesas normais. E ainda: como ficariam os outros campos do pré-sal, que são mais de 50 blocos?

Lembrando que sendo Libra um contrato de partilha, no qual o governo federal terá, sem investimento algum, 41,65% de todo o óleo/gás explorado, mais uma vez a Petrobras vai ajudar mais o governo do que a si própria.

Portanto, está na hora do governo olhar mais para a Petrobras e seus acionistas.

A esperança de Augusto dos Anjos

O advogado, professor e poeta paraíbano Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos (1884-1914), mostra neste soneto que “A Esperança” como a panaceia para todos os sentimentos e momentos da vida.

A ESPERANÇA

Augusto dos Anjos

A Esperança não murcha, ela não cansa,
Também como ela não sucumbe a Crença.
Vão-se sonhos nas asas da Descrença,
Voltam sonhos nas asas da Esperança.

Muita gente infeliz assim não pensa;
No entanto o mundo é uma ilusão completa,
E não é a Esperança por sentença
Este laço que ao mundo nos manieta?

Mocidade, portanto, ergue o teu grito,
Sirva-te a crença de fanal bendito,
Salve-te a glória no futuro – avança!

E eu, que vivo atrelado ao desalento,
Também espero o fim do meu tormento,
Na voz da morte a me bradar: descansa!
       (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

Enquanto a extrema direita tem saudade da ditadura, o PT tem inveja dos ditadores

Altamir Tojal
(Site Este Mundo Possível)

Dilma Rousseff nada de braçada nas bilionárias verbas publicitárias do governo e das estatais e manipula o orçamento público como caixa de campanha eleitoral. E, em rede nacional de rádio e tevê, chama de “guerra psicológica” as críticas à sua política econômica.

A propaganda oficial vende o Brasil potência, a ilha de prosperidade. O discurso oficial diz que os críticos do governo são inimigos em guerra contra a pátria.

Enquanto a extrema direita tem saudade da ditadura parece que o PT começa a ter inveja dos ditadores. Qual a consequência da “guerra psicológica”? O ato institucional?

Junte o ódio à imprensa crítica a esse balão de ensaio da “guerra psicológica” e imagine o que vai ser a campanha eleitoral. Na política dos sonhos da presidente e seus ghostwriters só há espaço para aplausos e bajulação. Não há lugar para oposição e crítica.

“ÓDIO À IMPRENSA”

No artigo “Dos que tanto amam odiar a imprensa”, publicado em 26 de dezembro, Eugênio Bucci situa a tática do “ódio à imprensa” na estratégia do Partido dos Trabalhadores para continuar no poder. O texto associa esta tática à lógica de um projeto autoritário ou totalitário, que depende da fabricação de inimigos a serem odiados. Bucci deve saber do que fala, porque foi do PT e do governo Lula.

Não vamos esquecer que o outro inimigo da vez é o presidente do STF, Joaquim Barbosa, e, por tabela, a justiça. É o preço do julgamento do Mensalão e da condenação e prisão de Dirceu, Genoino e cia.

Ao chamar de “guerra psicológica” as críticas à política econômica do governo, a presidente ameaça jornalistas, juízes, economistas e quem se atreve a desagradar o governo e o partido do poder. Mentes totalitárias convenceram Dilma a entrar na roubada da “guerra psicológica”. Será que vão convencer a presidente a baixar um ato institucional?

(artigo enviado por Mário Assis)

Grande imprensa tenta esconder a grave crise do mercado imobiliário

Carlos Newton

O professor de economia Luis Carlos Ewald, conhecido como “Sr. Dinheiro” por suas aparições no programa Fantástico, está prevendo que a bolha imobiliária vai estourar no Brasil ainda no primeiro semestre de 2014, mas nenhum veículo da grande imprensa, incluindo jornais, revistas e televisões vai entrevistá-lo.

O motivo é simples. A mídia tem ganhado muito dinheiro com o “boom” imobiliário, faturando propagandas caras e sofisticadas, além dos anúncios classificados de compra, venda e aluguel. E agora não pode dizer que o sonho acabou.

Ewald deu entrevista ao excelente site econômico InfoMoney, dizendo simplesmente o seguinte: “Não se vende nada e tem muita oferta. Quem comprou, não consegue vender. Está desesperador”.

DESESPERO

É claro que a grande mídia jamais vai repercutir esse tipo de afirmação, embora esteja claro que a fonte da inflação imobiliária já tenha secado. As grandes empresas do setor estão entrando em desespero, porque começaram a construir prédios sem vender todas as unidades na planta. Com o esgotamento da bolha, agora não estão conseguindo vender os apartamentos restantes.

Esse tipo de especulação funciona na economia como o conhecido golpe das pirâmides. Quem chega primeiro vai ganhando dinheiro, mas os que aderem depois acabam segurando o estouro. Uma coisa é comprar imóvel para fugir do aluguel. Outra, muito diferente, é querer transformar isso num negócio de compra e venda, como virou moda por aqui.

NOBEL DE ECONOMIA

O economista americano Robert Shiller, vencedor do Prêmio Nobel em 2013, que previu o estouro das bolhas da Nasdaq e do Subprime nos Estados Unidos, já detectou a bolha imobiliária brasileira, salientando que não há nada que justifique a magnitude da alta dos preços dos imóveis no Brasil.

“Eu também já estou avisando faz tempo. Quando o mercado fica assim fantasioso, pode esperar uma crise, porque ela irá vir. Eu já vi isso acontecer três vezes no Brasil e todas as vezes foi a mesma coisa”, completou o professor Luis Carlos Ewald, cujas advertências estão circulando com sucesso na internet, mas no momento não tem a menor chance de ser entrevistado na grande imprensa.

Só irão ouvi-lo depois que a bolha estourar.

 

Se a moda pega…

Carlos Chagas

Apesar do bom tempo que lota as praias, 2014 está  começando mal. Ônibus são incendiados de Norte a Sul, em alguns casos com requintes de crueldade. Incendiar ônibus virou cartão de visita dos marginais organizados, como a demonstrar estarem insatisfeitos com a ação das autoridades policiais.

A  primeira reação das quadrilhas instaladas nos morros ou nas celas de presídios é ordenar a seus esbirros que toquem fogo em coletivos, de preferência fazendo antes  descer passageiros, motoristas e trocadores. Como apareceram, somem, apesar de uma vez ou outra a polícia consiga detê-los.  Em boa parte são menores de idade, ainda que não em tamanho nem em criminalidade.

Há também os que,  não pertencendo a quadrilhas, decidem manifestar seu inconformismo diante de eventos que prejudicam suas comunidades, como tiroteios entre policiais e bandidos,com vítimas inocentes ou reflexos negativos em seu dia a dia. Até os modernos black-blocs já adotaram a moda, quando de suas depredações. “Não gostou? Incendeie um ônibus…”

Essa ação espraia-se pelo país inteiro, porque uns seguem o exemplo de outros, surgindo como uma das características desses novos tempos. Na medida para aumentar durante a Copa do Mundo.

Fazer o quê?  Designar um guarda para cada ônibus é impossível, além de inócuo, pois os incendiários agem em bando. Puxar o revólver e  atingir um ou dois deles só daria  margem a novas manifestações de violência.

Obrigar as empresas a dispor de instrumentos de defesa, como vidros blindados, janelas gradeadas, comunicação eletrônica com centros policiais ou privados capazes de providenciar socorro em poucos minutos? Não dá, porque o fogo  cresce em  questão de minutos. Esperar  o povão  defender-se  seria temerário, pois os passageiros são as maiores vítimas.

Como os empresários donos das frotas incendiadas  estão se lixando para os prejuízos, já que o poder público é obrigado a indenizá-los, solução aparente não há. Seria bom que começassem a atuar nos níveis federal, estadual e municipal as   diversas forças de segurança e inteligência para encontrar uma saída. A Copa do  Mundo não  vem   aí para que turistas, ao vivo, e o mundo inteiro, pela televisão, reconheçam a expansão dessa nova modalidade de crime como mais uma invenção brasileira…

Peças de carro são do mesmo modelo usado pelos homens sequestrados na Transamazônica

José Maria Tomazela e Chico Siqueira
Agência Estado

Em nota divulgada nesta segunda-feira, 6, a Polícia Federal (PF) afirmou que as peças de um automóvel queimado encontradas na Reserva Tenharim Marmelos, na região de Humaitá (AM), são de um Volkswagen Gol, o mesmo modelo usado pelos três homens que desapareceram na região no dia em 16.

As peças foram enviadas para a Volkswagen no fim de semana para confirmar se elas são do Gol preto do representante comercial Luciano Ferreira Freire, que deu carona ao professor Stef Pinheiro de Souza e ao técnico Aldeney Ribeiro Salvador. A PF também afirmou que uma caixa de remédios, que poderia ser de uma das vítimas, foi encontrada no local.

De acordo com o delegado Alexandre Alves, que comanda as buscas, as peças tinham numeração que permitirão à montadora rastrear o carro. As informações que Alves aguardava ainda para esta segunda-feira, 6, poderiam confirmar se as peças eram mesmo do Gol preto ocupado pelo grupo, que desapareceu quando trafegava entre os quilômetros 85 e 150 da Rodovia Transamazônica (BR-230) dentro da área indígena.

Um policial militar, testemunha do caso, que também viajava pela estrada, disse ter visto quando índios arrastavam um carro preto para dentro da mata daquela região no mesmo dia.

O comandante militar da Amazônia, general de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Boas, deveria se reunir nesta segunda-feira com os comandantes da força-tarefa que procura os desaparecidos. Villas Boas seguiu à tarde até a terra indígena para um encontro com os líderes dos índios.

Justiça determina que Genoino pague multa de R$ 468 mil do processo do mensalão

André Richter
Agência Brasil 

Brasília – A Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal determinou hoje (6) que o ex-deputado José Genoino, condenado a quatro anos e oito meses de prisão na Ação Penal 470, o processo do mensalão, pague a multa que ele recebeu pela condenação por corrupção. Conforme decisão da VEP, Genoino tem dez dias para pagar cerca de R$ 468 mil.

De acordo com despacho da Vara de Execuções Penais, se Genoino não fizer o pagamento no prazo estipulado, o débito será inscrito na Dívida Ativa da União. “Juiz da Vara de Execuções Penais determinou a intimação do sentenciado para o pagamento da pena de multa imposta nos autos da Ação Penal 470, proveniente do Supremo Tribunal Federal, no prazo de dez dias, sob pena de inscrição do débito em Dívida Ativa da União, nos termos do Artigo 51 do Código Penal”, decidiu a VEP.

Genoino cumpre prisão domiciliar temporária até 19 de fevereiro, por decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. No entanto, Barbosa rejeitou pedido de transferência para São Paulo, e o ex-deputado permanecerá em Brasília até nova avaliação médica. Após a data, uma perícia será feita para decidir se o condenado permanecerá em casa ou voltará para Penitenciária da Papuda, no Distrito Federal.

Conforme relatório obtido pela Agência Brasil, em dezembro, o ex-deputado apresenta boa aparência e quadro geral de saúde estável. No dia 26 de dezembro, Genoino recebeu a visita de uma assistente social e de uma psicóloga, responsáveis pela avaliação periódica de detentos que cumprem prisão domiciliar provisória.

« Older Entries Recent Entries »