Salve a nossa terra, onde árabes e judeus se entendem!

Francisco Bendl

Salve esta grandiosa Nação, onde não se utilizam métodos genocidas contra etnias; Salve este País cujos problemas residem apenas nas autoridades incapazes e incompetentes, corruptas e desonestas que possui.

Quanto ao povo judeu, que está sempre atento para qualquer notícia que seja veiculada na mídia internacional cuja intenção é a crítica ao seu comportamento nesta questão delicada com a Palestina, ele merece ser repreendido, sim.

Sem muito esforço, imagino a reação mundial caso fossem os judeus na situação dos palestinos, com estes possuindo um grande exército, construindo o muro da vergonha, e obrigando que o povo viva em guetos! Desta forma, o boicote a Israel é válido e eu concordo com ele, pois é pacífico e uma maneira de se demonstrar insatisfação com o modo como os judeus desumanamente estão tratando seus primos árabes.

Tenho obtido fotos espantosas desta crise entre palestinos e israelenses através de Blogs internacionais, registros que no Brasil não são publicados, e que causam indignação pelo exagero absoluto como a reação é feita diante das manifestações palestinas.

CONDENAÇÕES DA ONU

No entanto, a estupefação se estabelece por conta da série de condenações sofridas por Israel pela ONU, e nada foi feito para que este país cumprisse sequer parte das mais de duas centenas de admoestações prolatadas, havendo uma nítida tendência a favor dos judeus nesta questão de exterminarem gradativamente com os palestinos, sejam eles idosos, mulheres, crianças, não importa, o genocídio segue de forma impune, impiedosa e vergonhosamente à raça humana, mesmo em se tratando de uma nação – Israel – que tanto tem colaborado com o mundo com seus cientistas, na medicina e outras ciências.

Em nada pode ser considerado diferente o tratamento dispensado aos palestinos pelos israelenses como aquele que os negros foram submetidos através do odioso e repulsivo Apartheid. E não houve nação alguma que se levantasse contra os crimes que eram cometidos diariamente contra a população sul-africana!

Lamentavelmente acontece o mesmo com os palestinos, que são vítimas de chacinas e não existe país que diga categoricamente aos judeus. Basta. Chega de matanças gratuitas, de sangue de inocentes escorrendo pelas ruas do lado palestino e também dentro dos muros israelenses, claro, em proporção infinitamente menor.

JUGO DA COVARDIA

A verdade é que vivemos sob o jugo da covardia onde o mais fraco e que nada tem para ser explorado é submetido impiedosamente pelos poderosos. Os interesses e conveniências falam mais alto; o comércio internacional, os acordos, as táticas e estratégicas, suplantam a vida humana.

Árabes, africanos, atualmente correspondem aos povos humilhados deste Planeta, violentados, explorados, ofendidos, gerando uma revolta no meio desta gente que refuto de pleno qualquer comentário que não entenda os ataques terroristas palestinos.

Entretanto, não estou querendo afirmar que concordo com eles, ao contrário, mas vejo como única maneira de se fazerem ouvir pelos países que poderiam resolver o problema, que se esquivam, que se omitem, que não querem tomar posição, a não ser de apoio ao mais forte, lógico!

Enquanto judeus atacam de helicópteros, F-16, F-18, armas extremamente sofisticadas, os árabes se imolam, morrem em defesa de sua causa, igualmente matando inocentes em um círculo vicioso interminável, alimentado pelo ódio, intolerãncia, preconceito, soberba, arrogãncia e prepotência!

Aprovo e aplaudo este boicote comercial sobre os produtos israelenses.

46 comments

  • “cujos problemas residem apenas nas autoridades incapazes e incompetentes, corruptas e desonestas que possui” hmmmmmm….
    Será mesmo??? As “autoridades” são ELEITAS e constantemente REELEITAS…por quem mesmo??
    Ah, lembrei! por este maravilhoso povinho brasileiro…

  • O texto é bem intencionado e correto em vários pontos. Mas no Brasil, os “métodos genocidas”, infelizmente, são utilizados sim. A morte violenta de jovens, especialmente das periferias e favelas, pelas mãos das autoridades, é um dado de nossa realidade há muitos anos. A perspectiva de mudanças quanto a isto é ínfima.
    As autoridades, ao contrário do que se pensa, são competentíssimas. Mas é uma competência cruel. Elas, por diversas chicanas, domesticaram o povo, que vive num dos países de maior desigualdade social, e acredita que tudo está bem. Manter o status quo intocável é manter privilégios. Eis a grande competência.
    Quanto ao resto, o texto não precisa de retoques.

  • Jose Guilherme Schossland

    E o evento “Congonhas=Vôo 3054″, onde dentre os demais inocentes, “eliminaram” o baluarte da CPMI do “Apagão Aéreo”, o digno deputado Julio Redecker, integrante da comissão e havido mártir gaúcho, pró Brasil/Nação/Autônoma, a milhares de quilometros acima dos societários e por outras razões também “descartados” Getúlio, JK, Brizola, Jango, Castelo e Costa e Silva e Tancredo.
    PS. Aparagarm os registro aqui(TI) registrados, mas lembro que Lula, só saiu da toca 3 dias após o evento de Congonhas, manifestando-se lacrimejante e “crocodilamente” sobre o evento(CONGONHAS) que viria sepultar com SACRIFÍCIO HUMANO, a CPMI do Apagão Aéreo. Lula reuniu-se com BUSH (o auxiliar=WTC-11/9) em hotel ultra-varrido em São Paulo, para ultimar detalhes do evento a ser emprendido.
    PS2 Lula, irá ao inferno, Hades ou o que quer que o seja, com essa culpa!
    PS3. O que fazer, apagaram tudo, mas a “LEMBRANÇA” e a “LAMBANÇA” ficará para a eternidade, conforme: https://www.google.com.br/webhp?source=search_app#hl=pt&q=hotel+ultra+varrido%2BJose+Guilherme+Schossland&sa=X&ei=VbyXUajqBK3I0AGW_YHgAw&ved=0CDsQgwM&bav=on.2,or.r_qf.&fp=8f0b7f52cf9e9966&biw=780&bih=367

  • O governo de Israel deve ter ficado enormemente abalado e enfraquecido depois da bombástica declaração, de apoio ao boicote dos seus produtos, proferida pelo articulista!

  • Jose Guilherme Schossland

    Reiterando: “Your comment is awaiting moderation.
    maio 18, 2013 até 2:57 pm · Reply
    Caro Darcy, “estenda-se” além de:
    http://hebreuisraelita.wordpress.com/2012/06/09/edomitas-amalequitas-e-khazares/
    http://hebreuisraelita.wordpress.com/tag/ashkenazi/

  • Francisco Bendl

    Vejo-me obrigado a concordar com o Walter Martins no aspecto de métodos genocidas utilizados no Brasil, desgraçadamente.
    E registro como um deles as “cracolãndias”, espalhadas pelo País a mostrar a incompetência e menosprezo de nossas autoridades pela vida dos que imploram por ajuda, se não através de suas vozes pelo comportamento como dependentes químicos!
    Ressalto o descuido com nossas crianças que não possuem a escola de tempo integral, omissão criminosa de um governo que deveria ser o primeiro a querer reimplantá-la quando assumiu o poder há dez anos. O desperdício de vidas roubadas pelo tráfico, punidas pelas circunstãncias, impedidas de se desenvolverem pelas condições socio-econômicas de seus pais, resulta em uma população sem preparo profissional, sem mão de obra qualificada, sem poder preencher vagas de trabalho que exigem aprimoramento e estudo.
    Adiciono mais um método genocida pelos governantes brasileiros: a violência que segue impune, os assassinatos, as chacinas aos fins de semanas, o banditismo solto e livre para matar, violentar, estuprar, sem que o povo tenha policiais suficientes para defendê-lo.
    Finalizo, com o meio mais perverso e sádico de aniquilar milhões de vítimas e que está instituído no Brasil: A CORRUPÇÃO, que leva de arrasto princípios e valores, moral e ética, decência e honestidade.

  • Francisco Bendl

    O boicote aos produtos israelenses é um movimento internacional que somente agora chegou ao Brasil, Darcy.
    Não é da minha autoria e nem iniciativa, mas concordo com ele como forma pacífica de protestar contra os métodos adotados por Israel quanto ao tratamento dispensado à questão palestina e a violência usada contra aquele povo.
    No que diz respeito ao governo daquela nação se sentir prejudicado com meu comentário, independentemente da ironia que usaste, tomara que se dê conta que não será da forma que vem adotando de construção de muros, invasão de terras árabes para assentamentos judaicos e proibição de ajuda internacional em remédios e alimentos, que a Paz será efetivada naquela região, ainda mais com as dificuldades impostas à criação de um Estado palestino.

  • Que moral tem hoje os israelitas que aprovam a violência do governo de Israel contra os
    palestinos, para condenar o nazismo? Isto é válido também para o governo do EUA.

  • “Salve esta grandiosa Nação, onde não se utilizam métodos genocidas contra etnias.”
    Em qualquer capital estadual no Brasil são assassinadas mais pessoas que na Palestina.
    Conta outra.

  • “Salve esta grandiosa Nação, onde não se utilizam métodos genocidas contra etnias.”
    Em qualquer cidade grande, no Brasil, são assassinadas mais pessoas que na Palestina.
    Conta outra.

  • Luiz Fernando Souza-POA/RS

    Caro conterrâneo Bendl. Parabéns,excelente comentário,sensato,equilibrado,que nos faz refletir
    à,PAZ é possível para os homens de bem.(Deus no coração).

  • Carlos de Jesus

    Paz ? Que paz nobres cidadãos do Brasil vcs estão vendo neste mundo perverso, idólatra e
    blasfemo contra o ALTISSIMO ..YAHULL EM SEU FILHO YESHUA … ?

    Pois vou lhe s citar de forma literal que YESHUA….nos ensinou que a partir da pregação
    do REINO DE YAHULL/YAWHE….A GUERRA É QUE IRIA PREVALECER E NÃO A PAZ…

    Portanto amados , passem a vigiar mais cada um de forma individual por sua próprias almas.

    Pois o que vcs estão assitindo no Brasil e no mundo são sinais da vinda e juizo de YAHULL..

    Paz esteja com todos..

    YAWHE/YAHULL SEJA LOUVADO.

    Carlos de Jesus – Salvador -Bahia

  • Caro Francisco, saudações
    Israel envergonha o mundo. Suas posições em relação aos palestinos nos agridem a todos. Recentemente 194 países votaram a favor do reconhecimento da Palestina como Nação, contra somente quatro. A votação foi na ONU!!!
    Mas … eles prosseguem e prosseguem com assentamentos na Cisjordânia, em práticas já contestadas em 197 Tratados Internacionais, desde 1987. De que adiantam tantos Premio Nobel disso e daquilo, cientistas fantásticos, etc, se Israel debocha do mundo e massacra e chacina com requintes de crueldade os palestinos … e os humilha, HUMILHA!!!, na Faixa de Gaza???
    Seu protesto e seu grito em favor dos excluídos é a prova de que vale a pena lutar sempre, ainda que quixotescamente, pois a afronta,o deboche, o desrespeito pela condição humana, a crueldade massificada dos israelenses é repugnante e repulsiva. “Eles não estão nem aí” … verdade. Mas manifestações como esta sua, Francisco, fazem a vida valer a pena. Bom domingo!!! Almério

  • Welinton Naveira e Silva

    O sionismo e a grana

    Não fosse o formidável poder de influência dos judeus na política dos EUA, no Congresso norte americano, na poderosa área bancária e financeira e, grande parte da mídia mundial, o boicote comercial contra Israel seria viável e possível. Causaria bom resultado, semelhante aos obtidos contra o antigo criminoso racismo praticado na África do Sul. Entretanto, tratando-se de enfrentar o poder dos sionistas, torna-se tarefa quase impossível. Mas, se o mundo civilizado conseguir impor semelhante boicote comercial a Israel, os continuados massacres e diárias humilhações contra o povo palestino, realizados pelos sionistas, estarão com os dias contados.

  • Pessoas partidárias desse ativismo ignoram que em TODOS OS LUGARES, governos foram estabelecidos por meio de invasões, conquistas. Ninguém fica permanentemente no comando. Lutas pelo reconhecimento, autonomia, independência. A história é testemunha. Claro. Mas raras exceções aqui e a maioria por aí não gosta de ler.

    Francamente, apresentar Israel como ladrões de terras…!!! e a continuação de sua existência como uma injustiça… !!!

    Não se esqueçam de pesquisar na História. ANTES da criação de Israel, em época final ao exercício do controle pela mandatária britânica, quando desistiu da Palestina em 1948, países árabes buscaram de todos os modos disponíveis expulsar os judeus que ali já viviam e os que foram chegando anos anteriores, adquirindo propriedades por quilômetros quadrados, fazendas, casas, terras, sempre com espírito empreendedor. Então, chegou 1948 (hoje, uma Lei da Palestina declara que vender terra para judeus é crime e a pena é a morte). Sai de cena a Grã-Bretanha deixando que eles todos se entendam.

    Curioso é que, desde então, e vendo hoje, no lado da Palestina segue sem haver qualquer tipo de produção industrial, científica (a não ser de ódio, já florescendo e disseminadas na educação e na religião). Nunca se cogitou aceitar o país vizinho, sempre pregando uma luta contra os “invasores”. Enquanto que Israel fizeram o deserto florescer, recuperaram terras, drenaram pântanos, limparam canais, reflorestaram colinas, removeram rochas e retiraram sal do solo.

    Moral da história: enquanto um lado só se preocupa em derrubar o outro, este, por sua vez, busca se proteger e avançar e desenvolver enquanto país.

    Sífilis – teste de Wasserman que foi descoberto por um judeu Dr. Ehrlich.
    Gonorréia – o diagnóstico através de método descoberto pelo judeu Neissner.
    Doença cardíaca – tratamento usando Digitalis, descoberta pelo judeu Ludwig Traube.
    Dor de dente – tratada com a novocaína, descoberta dos judeus Widal e Weil.
    Diabetes – uso da insulina, o resultado da pesquisa do judeu Minkowsky.
    Dor de cabeçav – a Pyramidon e a Antypyrin foram descobertas pelos judeus Spiro e Ellege.
    Convulsões – uso de hidrato de cloral proposto pelo judeu Oscar Leibreich.
    Males psíquicos – a psicanálise veio com Freud, um judeu.
    Difteria – o “Schick” foi inventado pelo judeu, Bella Schick.
    Tratamento de danos cerebrais, o trabalho de judeus como o Prêmio Nobel, Robert Baram.
    Paralisia Infantil – a descoberta da vacina anti-pólio veio com Jonas Salk, judeu.
    Tuberculose – uso da estreptomicina pelo Zalman Waxman, judeu, inventou a droga contra esta doença mortal.
    Descobertas e melhorias na área da dermatologista por Judas Sehn Bento, judeu.
    Descobertas e melhorias na área da pneumologia por Frawnkel, judeu.

    Be happy

  • Quero ver se são capazes mesmo de boicotar tudo.
    Todos os aflitos com sífilis, gonorreia, doença de coração, de cabeça, tifo, diabetes, transtornos mentais, convulsões poliomielite e tuberculose não usem todos os produtos ou técnicas desenvolvidas por israelenses.
    Que todos os que boicotarem tais produtos e técnicas sofram e morram!

  • Quero ver se são capazes mesmo de boicotar tudo.

    Todos os aflitos com sífilis, gonorreia, doença de coração, de cabeça, tifo, diabetes, transtornos mentais, convulsões poliomielite e tuberculose não usem todos os produtos ou técnicas desenvolvidas por israelenses.

    Que todos os que boicotarem tais produtos e técnicas sofram e morram!

  • Francisco Bendl

    Daniel,
    Tu estás preso a uma cova sem leões, pois fechado em ti mesmo.
    NENHUM comentário registrou que Israel não tem direito à terra, mas não pode invadir a que não é dele, simples!
    Por outro lado, percebo um certo preconceito da tua parte com relação aos povos que não possuem entre eles cientistas, médicos, engenheiros, pesquisadores…, dando a entender que podem ser explorados, expulsos de suas terras, humilhados e desprezados.
    Em outras palavras: que os palestinos procurem para onde ir, e que cedam o que é deles para Israel, um país que detém mais pessoas influentes no mundo!
    Ora, isto é segregação odiosa.
    Por outro lado, este teu comentário, Daniel, não é original. Eu já o havia lido em outras ocasiões aqui mesmo, na Tribuna, razão pela qual venho guardando uma resposta à altura dos brilhantes homens judeus que, inegavelmente, contribuíram para o desenvolvimento e progresso da humanidade, e na mesma intensidade que os árabes FIZERAM O MESMO!!!
    Exemplifico:

    Os árabes existem há quatro mil anos. Alguns historiadores afirmam ser maior o tempo que perambulam por aquela região.

    A partir do século VIII os primeiros califas abássidas estimularam o conhecimento de textos existentes a partir de traduções. Al Mansur foi o primeiro a financiar as traduções de obras científicas dos indianos e dos filósofos gregos antigos. Seus sucessores continuaram e ampliaram esta prática, o que levou a fundação da Casa do Conhecimento, que acolhia os melhores sábios da época e tornou-se o primeiro centro científico. Entre os manuscritos traduzidos para o árabe estavam textos desaparecidos de Ptolomeu, Euclides, Galeno e tantos outros provenientes das ciências antigas. Estes sábios foram largamente estimulados por homens eminentes e de grandes posses, que tinham interesse pelo conhecimento criativo.

    A riqueza e a vitalidade das atividades de tradução precederam um período de busca incessante do conhecimento, de curiosidade, de prática do debate de ideias e que se tornaram características dos sábios da época. A partir do século IX e diante deste ambiente, inicia-se o período emergente da ciência dos árabes. Neste momento, os conhecimentos deixaram de ser adquiridos apenas a partir das traduções, mas passaram a ser aprimorados e novos saberes foram desenvolvidos. Entre os séculos X e XIII tem lugar o verdadeiro apogeu da ciência árabe e um desenvolvimento da ciência em larga escola e no século X é formada a Casa do Saber em Bagdá, onde é instalada também uma das maiores bibliotecas da humanidade.

    Ao longo de 4 séculos um ambiente de enorme estímulo intelectual prevaleceu e se ampliou e foi neste período que inúmeras descobertas ocorrem, entre as quais se destacam:

    1.Matemática e Álgebra – com o desenvolvimento dos algarismos, do conceito de zero e do sistema decimal, da prática do cálculo, da álgebra, das equações trigonométricas e da aritmética. Dentre os grandes sábios destacam-se Al-Kwarismi (de onde vem a palavra algarismo), Ibn al-Haytam, al-Biruni entre outros tantos;

    2.Astronomia – são recuperados os conhecimentos dos gregos antigos e desenvolvidas técnicas e instrumentos sofisticados de orientação (astrolábios e observatórios), determinação do tempo e modelos planetários;

    3.Geografia – conhecimento da geografia humana e cartografia;

    4.Física – desenvolvimento da hidrostática, da óptica, da mecânica;

    5.Arquitetura e artes decorativas – Desenvolvimento de construções e elementos geométricos de grande sofisticação;

    6.Química – a partir de experimentos práticos desenvolveram o sabão, elementos cosméticos como a água de rosas (a partir de técnicas de destilação) e do vinagre (a partir de técnicas de fermentação). Devido a uma busca incessante pelo elixir da vida, do medicamento milagroso que poderia curar todos os males.

    A partir de uma herança rica vinda dos tratados de Hipócrates e Galeno, a medicina árabe inovou em diferentes aspectos e transformou-se em uma medicina de alto nível, desenvolvida nos grandes centros da época. Foram exatamente por causa das grandes cidades que os árabes desenvolveram o conceito de hospital, ou seja, um lugar onde se reuniam especialistas empenhados no tratamento de doentes, na prática e no ensino da medicina. Nestes locais também se desenvolveram as farmácias onde se reuniam os agentes terapêuticos diversos. Devidos aos avanços na pesquisa química e na busca do elixir terapêutico, os árabes tornam-se responsáveis pela descrição de grandes farmacopeias (coleção de elementos detalhadamente descritos quanto ao seu aspecto, obtenção e uso terapêutico). Os avanços na química também permitiram não só o tratamento das doenças, mas também os preparados químicos na busca do equilíbrio e do bem-estar.

    Grandes desenvolvimentos na área médica foram possíveis nesta época e muitas doenças foram como a varíola, a asma e a alergia foram descritas e tratadas. Grandes conhecimentos de anatomia e fisiológicos foram adquiridos, entre os quais a anatomia e fisiologia da mulher, do desenvolvimento fetal e da gravidez. Houve também o desenvolvimento de instrumentos cirúrgicos e de técnicas cirúrgicas sofisticadas para a época. Há que se salientar que antes dos árabes as cirurgias eram feitas pelos barbeiros e a partir dos árabes, estas tornaram-se práticas desenvolvidas e ensinadas em escolas médicas.

    Dentre os grandes sábios médicos podemos citar Ibn Sina, conhecido também como Avicenna, que elaborou um tratado de medicina chamado o “Canone da Medicina”. Uma obra monumental onde descreveu diversas patologias e seus possíveis tratamentos, tendo sido utilizada na prática e no ensino médico até o século XVIII. Dentre as doenças descritas por Avicenna podemos citar várias desordens centrais como a mania, alucinações, pesadelos, demência, epilepsia, derrame, paralisias, tremores e até mesmo distúrbios sexuais! Avicenna descreveu diversas estruturas anatomicas, regiões do cérebro cujos nomes são utilizados ainda hoje na neuroanatomia e neurofisiologia moderna. Ele foi o primeiro cientista a relacionar regiões do cérebro com funções específicas do organismo, o que até hoje continua sendo objetos de estudos na neurofisiologia e neurosciência. Além disso, ele acreditava e frequentemente utilizava métodos psicológicos para tratar seus pacientes.

    Há vários outros sábios filósofos e médicos como Ibn al-Nafis, que descreveu o que hoje é conhecida na anatomia como “a pequena circulação” que trata da circulação venosa em artérias pulmonares antes da sua oxigenação pelo coração.

    No estudo, elaboração e compilação de medicamentos, destacou-se o sábio Ibn al-Baytar que descreveu mais de 1400 medicamentos dentre os quais pelos menos Os árabes também produziram conhecimentos importantes para o bem estar do indivíduo como conhecimento sobre a higiene e a nutrição e principalmente sobre a descrição de processos mentais e psicológicos. Avicenna e Al-Razi defendiam a utilização de métodos psicológicos para o tratamento de doenças e pode-se dizer que são precursores também dos estudos em psicologia. De fato, foram os árabes os primeiros a descreverem a psicologia experimental, as desordens do sistema nervoso central, as desordens do sono e as da memória. Pode-se dizer que, juntamente com as técnicas de neurocirurgia desenvolvidas por Al-Zahrawi, todas estes conhecimentos podem ser considerados os precursores de uma das ciências mais interessantes e desenvolvidas da nossa época, a neurociência. Ao analisar todos estes estudos descobrimos que ainda há muito que investigar à luz dos conhecimentos produzidos pelos árabes e que são mais atuais do que imaginamos.

    Além disso, sempre é bom lembrar que enquanto o conhecimento e a ciência florescia entre os árabes, a Europa vivia em obscurantismo. Graças aos árabes muito do conhecimento foi salvaguardado e aprimorado para depois ser transmitido aos europeus e ao Ocidente, possibilitando um novo despertar da humanidade e do chamado mundo civilizado. De um pólo a outro, de um século ao outro até os dias atuais, foram os conhecimentos adquiridos e desenvolvidos pelos árabes e posteriormente incorporados pelos Europeus que fizeram ampliar os conhecimentos que transcenderam épocas, fronteiras e línguas. Aos árabes devemos muito da nossa ciência atual e um lugar de destaque deve ser reservado a este conhecimento. Essa herança universal e humanista está em todo o conhecimento científico gerado pelos árabes.

    Esta é uma história que devemos sempre lembrar.

    Portanto, Daniel, se os judeus se notabilizaram a partir do século XX, foi graças aos árabes que construíram a base para pesquisas que possibilitou aos cientistas modernos atingirem os resultados obtidos

  • Francisco Bendl

    Daniel,
    Lendo as tuas palavras acima e que denotam um ódio acirrado por aqueles que contestam os métodos de Israel no tratamento dispensado aos palestinos, lamentei ter ocupado o meu tempo em te responder sobre as obras dos árabes na ciência, seus desenvolvimentos, descobertas, estudos e pesquisas.
    Penso que desejar que outros morram porque pensam diferente de nós, a razão se esvai, os argumentos se tornam insípidos, e nem mesmo a ênfase na defesa do ponto de vista é considerada haja vista estar cega pelo preconceito e segregação!
    Enfia a tua cabeça no travesseiro esta noite e pensa na besteira proferida. Aliás, graças a Deus que tu moras no Brasil, caso contrário, a tua raiva faria com que aniquilasses uns árabes para aliviares esta tensão que demonstraste, credo!

    • Francisco. Os boicotes, a que me referi, são relacionados a todos os aflitos com sífilis, gonorreia, doença de coração, de cabeça, tifo, diabetes, transtornos mentais, convulsões poliomielite e tuberculose que tiverem “peito” para não usem todos os produtos ou técnicas desenvolvidas por israelenses. Não preguei nenhum ódio. E repito os comentários salvos por mim quantas vezes quiser.
      Por favor, não são tão coitados assim. Mas fato é, como no Brasil, a esmagadora maioria da população é manobrada por grupos.

    • Francisco.
      Os boicotes, a que me referi, são relacionados a todos os aflitos com sífilis, gonorreia, doença de coração, de cabeça, tifo, diabetes, transtornos mentais, convulsões poliomielite e tuberculose que tiverem “peito” para não usem todos os produtos ou técnicas desenvolvidas por israelenses. Não preguei nenhum ódio. E repito os comentários salvos por mim quantas vezes quiser.
      Por favor, não são tão coitados assim. Fato é, como no Brasil, que a esmagadora maioria da população é manobrada por grupos.

  • Welinton Naveira e Silva

    Prezado Francisco Bendl

    Tenho notado que você é homem de grande paciência. Muito bom. Gostaria de ter semelhante qualidade. Parabéns!
    Abraços
    Welinton

  • Francisco Bendl

    Meu caro Welinton Naveira e Silva,
    Tenho características, mas homens da tua estirpe, do teu preparo, com a tua inteligência e um dos melhores articulistas e comentaristas que temos neste Blog incomparável – estes possuem qualidades!
    Justamente para que eu possa pelo menos participar da troca de idéias entre gente tão aprimorada e culta, devo exercer algumas condições que normalmente eu as dispensaria no cotidiano.
    Desta forma, a paciência e a tolerãncia aprendi a colocá-las em prática através dos exemplos obtidos de pessoas do teu nível, de frequentadores que me mostram diariamente a fórmula correta para se dialogar e estabelecer um convívio harmônico, independente das posições de cada um frente ao tema postado.
    No entanto, agradeço as tuas palavras. Elas me incentivam, me impulsionam a continuar demonstrando serenidade em certos momentos onde a impulsividade poderia determinar uma interrupção desagradável na discussão em curso.
    Obrigado, Welinton.
    Um forte abraço.

  • Que show, Francisco!!!
    O mundo árabe nos trouxe tantas coisas!!!
    Onde surgiu a primeira Civilização do mundo??? Em Israel … ou na Mesopotâmia(atual Iraque)???
    Onde surgiram a Arquitetura, Agricultura, Astronomia e o Direito??? Também na Mesopotâmia, em 1730 a.C !!!
    Onde surgiram as pioneiras noções de “Planejamento, Organização, Execução e Controle”, tão decantadas pelas empresas de hoje? Em Israel? Ou na Babilônia, quando os nativos pescavam e caçavam em grupos organizados, distribuíam por igual entre si os resultados, faziam provisões para épocas desfavoráveis e muito muito mais???
    Como viver aproveitando a Natureza e sobreviver na adversidade, como construir abrigos e cantar e cantar e cantar, fazendo poesias … para atrair os bons fluídos dos deuses???
    Parabéns, Francisco Bendl!!! Mas … como você bem frisou usando as suas palavras … tenhamos misericórdia para com o Daniel. “A jaula dele é a mente dele mesmo e nem há necessidade de leões para matá-lo”. Uma pessoa como ele … e outros como ele, que se alimentam da raiva e do ódio … de uma agressividade doentia … se destroem a si mesmas … morrem enforcados por suas próprias cordas. Daniel, na bíblia, quer dizer, “O Senhor virá salvá-lo”, ou algo do tipo. Se estou certo, que ELE venha logo para este Daniel aí.

  • Francisco Bendl

    Meu caro Almério Nunes,
    Certamente o Daniel é jovem, impulsivo, age antes de pensar nas consequências.
    Homens na nossa faixa etária querem viver bem com todos, pois sabem da importãncia do ser humano em si, independente da nacionalidade, religião, cor e sexo.
    Repito: sou Humanista. A pessoa vem em primeiro lugar, depois o que ela representa e suas vontades (Schopenhauer) em ser o que quer ou naquilo que se tornou pela força das circunstâncias, cultura e tradição.
    Assim, desejamos ao rapaz acima que Deus o ilumine, que o faça mudar de pensamento, que possibilite que a sua mente seja ampliada e veja a Humanidade como unidade e não separada entre os mais poderosos e fracos, mais inteligentes ou ignorantes, mais preparados ou ingênuos, mais agressivos ou pacatos.
    Indiscutivelmente o mundo seria bem melhor para homens e mulheres caso pensássemos em nosso bem-estar, nos relacionamentos, independentemente de determinações políticas, religiosas e sociais, mas contemplando o ser humano com a devida importância que ele tem, e não apenas enfatizando os caminhos escolhidos ou a filosofia seguida.
    O ser humano é a minha filosofia, o meu caminho, a minha meta, o meu destino, Almério, e por uma simples razão:
    Nasci de dois espécimes desta raça, um homem e uma mulher, meus pais.
    Ora, meus pensamentos devem ser dirigidos, canalizados, definidos para enaltecer a raça humana, e não para separá-la, rotulá-la, dividi-la.
    Pouco se me dá se é judeu, árabe, brasileiro, americano do norte, caribenho, comunista, capitalista, preto, branco, amarelo, índio, aborígene, esquimó, escandinavo, suíço, alemão, padre, pastor, anglicano, homem, mulher… o ser humano precisa ser visto e tratado como ser humano e não pelo que é ou deixou de ser.
    O meu esforço tem sido neste sentido no ocaso da minha vida, de estabelecer uma conexão mais forte entre nós, mais respeitosa, sentimental, de consideração, de tolerância, e bem mais humana!
    Um forte abraço, meu caro mestre.

  • Jose Guilherme Schossland

    O problema principal reside nos croupiers “distribui-dores” contidas nessas cartas à mesa, onde se mantem PELA MÃE DA IMPUNIDADE & CONGÊNERES, seus hábeis “joga-dores” e perdemos nós, os ainda esperançosos “porta-dores”!

  • Almério, só um detalhe que, talvez, tenha passado despercebido no seu comentário: ao perguntar onde surgiu a primeira civilização, se em Israel ou na Mesopotâmia, acertou num ponto, isto é, os mesopotâmicos são anteriores, bem anteriores à Israel. Entretanto, a Mesopotâmia, em 3000 a.C., não pertencia ao mundo árabe. Os árabes só tomaram a região, durante o Califado Omíada, no século VII d.C. Uma outra coisa: mesopotâmicos primevos tem coisas em comum, tanto com judeus quanto com árabes. Só para lembrar, o “pai fundador” dos dois povos, Abraão(para judeus) Ibrahim(para os árabes), pai de Isaac e Ismael, era mesopotâmico(sumério), nascido em Ur.

  • Francisco Bendl

    Meu caro Schossland,
    Tens o dom da síntese, em uma frase dizer o que a maioria escreve em uma folha inteira!
    Logicamente esta qualidade dentre tantas que tens advém da experiência, inteligência, sensibilidade, cultura, que propiciam análises corretas e pontuais sobre os assuntos postados a discussões, a debates.
    Obrigado pela tua observação e participação a respeito da PAZ, que a maioria dos frequentadores deste espaço democrático a mantém e faz questão que assim seja!
    Um abraço, meu ilustre guru.

  • Jose Guilherme Schossland

    “Porta-dores” do único titulo que nos foi legado e que só interessa a “eles”, qual seja o título eleitoral”, que avalisa esse criminoso e generalizado conluio,´tanto quanto uma escritura de uma propriedade móvel ou imovel, com seus sacanas IPTU, IPVA e etecetera e tal……………
    PS. Saí dessa babilônia, povo Meu!
    PS2. Se e quando puderes, prudentemente, mas nõ te demores, mesmo sabendo dos consequentes reveses.

  • Sr. Daniel:
    Parabéns por suas palavras. O Sr. esta certíssimo.
    Aqueles que lançam foguetes a esmo contra Israel, aqueles que se servem de crianças como escudos humanos, os mesmos que usam homens bombas para atingir alvos civis, são monstros, covardes, desprezíveis.
    Os comunas aqui deste blog, os ressentidos- perdedores, que atacam Israel, odeiam também os E.U.A, odeiam as liberdades, apoiam os árabes, como apoiariam qualquer um estivesse contra os E.U.A.
    O islã hoje representa a antítese da liberdade, representa a ameaça ao mundo ocidental, aos valores superiores que o Ocidente criou e desenvolveu. Que eles, os árabes, imponham a si mesmos a sharia, o atraso, o obscurantismo, mas que não venham tentar impor ao Ocidente o seu atraso, pois terão o tratamento cabível, pelos os homens de bem que amam as liberdades.
    Eles perderam a guerra dos seis dias, onde foram humilhados, e perderão sempre.
    Shalom

  • Francisco Bendl

    Walter Martins,
    Apesar de o teu último comentário estar dirigido diretamente ao Almério, peço licença para escrever o seguinte:
    Esta é a participação que clamo e solicito aos participantes deste Blog incomparável!
    A tua intervenção lembrando ao nosso caro Almério um detalhe sobre o tema que estamos conversando entre várias pessoas é oportuna, haja vista que nos aprimoramos e corrigimos informações que no momento que as estamos teclando não temos tempo para verificar datas e locais corretos, somente o seu significado e importância.
    Assim, Almério, do alto da sua cultura e experiência, agradecerá pela informação prestada, e nós acrescentamos aos nossos conhecimentos sobre História mais um detalhe importante, justamente obtido de um comentarista que visa colaborar de forma positiva para que haja o esclarecimento devido a respeito da situação que hoje confronta dois povos de extrema importância à Humanidade: árabes e judeus!
    Saudações, Walter Martins.

  • Francisco Bendl

    Schossland, Schossland…
    Esta analogia entre nós e a Babilônia foi sensacional!
    De fato, não queremos reis nos governando ou dinastias partidárias, muito menos que nossos governantes se imaginem encarnando Nabucodonosor I e Nabucodonosor II!
    Mesmo assim, percebo que a nossa capital, Brasília, representa uma espécie de “jardim suspenso” do Brasil, pois a realidade que voga no Parlamento é completamente oposta à vida dos cidadãos comuns, que veem nesta “ilha da fantasia” um local inacessível para seus clamores e protestos, mas um paraíso para quem o desfruta e goza de seus altos privilégios, exatamente a divisão outrora existente neste País com relação à realeza, súditos e vassalos!
    Outro abraço, meu caro.

  • Jose Carlos R. Campos

    Excelente artigo do Sr. Francisco Bendl, bem como a maioria dos comentários. Um artigo equilibrado, enérgico e acima de tudo honesto. E temos de concordar que não só Israel pratica genocídio contra os palestinos, como o governo brasileiro pratica também, como o governo chinês, o governo cubano, o governo norte-coreano, vários governos africanos, etc.

  • Jose Guilherme Schossland

    Cremos que temos diante do maravilhoso legado sopro da vida, a impalpável alma e a essa também deram um preço, que está inserido na aceitação ou resistência ao que advém dos que fazem “Brasília, a Libertina do Brasil”, seja lá quem for o cara ou a cara para isso “estabelecidos”, pela programática “Mãe da Impunidade & Congêneres & Ecumênicas Meretrizes & Más Companhias Ilimitadas”, haja visto: “”Se é para falar em números, e sua explícita correlação com anos:
    17.17 é = a 1.717

    Apocalipse 17.17 Porque Deus tem posto em seus corações, que cumpram o seu intento, e tenham uma mesma idéia, e que dêem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras ddo Altíssimo.
    = à: Em: http://www.gobms.org.br/noticia/?Cod=253
    “GOBMS … e não se pode esquecer que a primeira Obediência maçônica do mundo, como já foi visto, foi fundada em 1717, no dia de São João Batista.”
    -”Ou seja, complementando meu comentário anterior: Sabedor ou não do papel que desempenha essa Sociedade ou suas congêneres (no fundo…….., bem lá no fundo…..para tal epílogo, essa advertência a seus ingênuos ou propositados membros é fruto do amor do Altíssimo Criador, aos que “daquele lado” mostram-se incauta, espiritual e materialmente rebeldes(antagonistas) ao próprio doador do sopro da vida(Criador).”

  • Francisco Bendl

    Prezado José Carlos R. Campos,
    Grato pelas palavras.
    O importante é que devemos nos manter lúcidos diante de certos movimentos que visam apenas expansão e conquistas sobre pessoas, culturas e tradições.
    Judeus e árabes precisam se respeitar mútua e reciprocamente. Tanto os primeiros não podem se valer da sua força pelo Exército e Aeronáutica quanto os segundos não podem se valer de atitudes radicais e contribuírem para o terrorismo internacional.
    Ambos erram, indiscutivelmente. No entanto, Israel age infinitamente com mais rigor e proporção, afora o poderio que possui com referência a limitar espaços dos palestinos e invadir-lhes a terra com mais assentamentos, incluindo o controle da água, remédios e alimentos!
    Pois é esta reação descabida e desproporcional o nosso protesto, diante dos direitos de cada povo, judeu e árabe, em terem o seu Estado independente e soberano, e com a característica da PAZ entre eles que vivem naquela região há milhares de anos.
    Um abraço, José Carlos.

  • Jose Guilherme Schossland

    Respostas, para cadinho, “FUNDIÇÃO” e retirada do amontoado de impurezas(escórias), em: http://hebreuisraelita.wordpress.com/2012/02/14/a-identidade-perdida-da-nacao-israelita/
    http://hebreuisraelita.wordpress.com/2012/02/16/nao-devemos-seguir-a-tradicao-judaica/?preview=true&preview_id=822&preview_nonce=267c3146c4
    http://hebreuisraelita.wordpress.com/2012/06/09/edomitas-amalequitas-e-khazares/
    PS. Que tal? “Ezequiel 22ouvir
    A palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos:
    E tu, filho do homem, não julgarás, não julgarás esta cidade sanguinária? Faze-lhe conhecer todas as suas abominações.
    Dize-lhe: eis o que diz o Altíssimo: ah! cidade que espalhas o sangue em tuas ruas para que chegue a tua hora, que eriges ídolos para te sujares,
    pelo sangue que tens derramado tu te tornaste culpada e te poluíste pelos teus ídolos que talhaste; precipitaste a tua hora, adiantaste o termo de teus anos. Por isso vou abandonar-te aos ultrajes das nações, e ao escárnio de todos os países.
    Próximos ou distantes, eles zombarão de ti, cidade cujo nome é odioso, cidade cheia de desordens.
    Vê: os príncipes de Israel estão em ti ocupados, cada um por si, a derramar sangue.
    Em ti, desprezam-se pai e mãe, violenta-se o hóspede estrangeiro, maltratam-se o órfão e a viúva.
    Tens aviltado meus santuários e profanado os meus sábados.
    Há em ti delatores que fazem derramar sangue; gente de tua casa que vai comer na montanha. Cometem-se infâmias no meio de ti:
    descobre-se a nudez de seu pai, faz-se violência à mulher durante o período da menstruação;
    um comete horrores com a mulher do próximo, outro desonra incestuosamente sua nora, outro viola sua irmã, filha de seu pai.
    Em ti aceitam-se presentes para derramar sangue, tu recebes a usura e os juros, fazes violência ao próximo para despojá-lo; e a mim tu me esqueces – oráculo do Altíssimo.
    Muito em breve, porém, vou bater palmas devido às pilhagens que tens feito e ao sangue em ti derramado.
    Poderá resistir teu coração, tuas mãos poderão agüentar, ao chegarem os dias em que eu me levantar contra ti? Sou eu, o Altíssimo, que o digo, e que o executarei.
    Eu te disseminarei entre as nações, te dispersarei através dos povos. Limparei totalmente a tua mancha,
    serás aviltada, por tua culpa, aos olhos das nações, e reconhecerás assim que sou eu o Senhor.
    A palavra do Altíssimo foi-me dirigida nestes termos:
    Filho do homem, a casa de Israel tornou-se para mim escória. São todos {como} cobre, estanho e ferro e chumbo no cadinho: são escória da prata.
    Por isso, eis o que diz o Altíssimo: já que todos vós sois escórias, vou reunir-vos em Jerusalém.
    Do mesmo modo como se ajunta no meio do forno a prata, o cobre, o ferro, o chumbo e o estanho, e como se atiça o fogo sobre eles para fundi-los, do mesmo modo, no furor da minha cólera, eu vos amontoarei todos juntos lá para vos fazer fundir.
    Eu vos reunirei e atiçarei sobre vós o fogo do meu furor, para vos fazer fundir em Jerusalém.
    Semelhantes à prata, que se funde no cadinho, sereis fundidos no meio da cidade e assim reconhecereis que sou eu, o Senhor, que desencadeei sobre vós o meu furor.
    A palavra do Altíssimo foi-me dirigida nestes termos:
    filho do homem, dize a Jerusalém: és uma terra que não recebeu nem chuva nem aguaceiro, na estação da cólera.
    Há em teu seio uma conspiração de príncipes. Como o leão que ruge, que arrebata a presa, eles devoram as pessoas, tomam-lhes os bens e as riquezas, e multiplicam as viúvas.
    Seus sacerdotes violam a minha lei, profanam o meu santuário, tratam indiferentemente o sagrado e o profano e não ensinam a distinguir o que é puro do que é impuro; fecham os olhos para não ver os meus sábados; no meio deles a minha santidade é profanada.
    Seus chefes lá estão como lobos que despedaçam a presa, derramando sangue, perdendo vidas para tirar proveitos.
    Seus profetas cobrem tudo com uma argamassa: têm visões de mentira e oráculos enganadores. Dizem: eis o que diz o Altíssimo, quando nada disse.
    A população da terra se entrega à violência e à rapina, à opressão do pobre e do indigente, e às vexações injustificáveis contra o estrangeiro.
    Tenho procurado entre eles alguém que construísse o muro e se detivesse sobre a brecha diante de mim, em favor da terra, a fim de prevenir a sua destruição, mas não encontrei ninguém.
    Por isso vou desencadear sobre eles o meu furor e exterminá-los no fogo da minha exasperação; farei cair sobre eles o peso de sua conduta – oráculo do Altíssimo.”

  • Jose Guilherme Schossland

    Caro Francisco Bendl, veja porque assim se porta quem faz de Brasília, a Libertina do Brasil, em:
    http://www.youtube.com/watch?v=AVRzqsCS9UM
    http://www.youtube.com/watch?v=noELJjEJ1DU

  • Obrigado Francisco.

  • Jose Guilherme Schossland

    Your comment is awaiting moderation.
    maio 20, 2013 até 2:30 pm · Reply
    Respostas, para cadinho, “FUNDIÇÃO” e retirada do amontoado de impurezas(escórias), em: http://hebreuisraelita.wordpress.com/2012/02/14/a-identidade-perdida-da-nacao-israelita/
    http://hebreuisraelita.wordpress.com/2012/02/16/nao-devemos-seguir-a-tradicao-judaica/?preview=true&preview_id=822&preview_nonce=267c3146c4
    http://hebreuisraelita.wordpress.com/2012/06/09/edomitas-amalequitas-e-khazares/
    PS. Que tal? “Ezequiel 22ouvir
    A palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos:
    E tu, filho do homem, não julgarás, não julgarás esta cidade sanguinária? Faze-lhe conhecer todas as suas abominações.
    Dize-lhe: eis o que diz o Altíssimo: ah! cidade que espalhas o sangue em tuas ruas para que chegue a tua hora, que eriges ídolos para te sujares,
    pelo sangue que tens derramado tu te tornaste culpada e te poluíste pelos teus ídolos que talhaste; precipitaste a tua hora, adiantaste o termo de teus anos. Por isso vou abandonar-te aos ultrajes das nações, e ao escárnio de todos os países.
    Próximos ou distantes, eles zombarão de ti, cidade cujo nome é odioso, cidade cheia de desordens.
    Vê: os príncipes de Israel estão em ti ocupados, cada um por si, a derramar sangue.
    Em ti, desprezam-se pai e mãe, violenta-se o hóspede estrangeiro, maltratam-se o órfão e a viúva.
    Tens aviltado meus santuários e profanado os meus sábados.
    Há em ti delatores que fazem derramar sangue; gente de tua casa que vai comer na montanha. Cometem-se infâmias no meio de ti:
    descobre-se a nudez de seu pai, faz-se violência à mulher durante o período da menstruação;
    um comete horrores com a mulher do próximo, outro desonra incestuosamente sua nora, outro viola sua irmã, filha de seu pai.
    Em ti aceitam-se presentes para derramar sangue, tu recebes a usura e os juros, fazes violência ao próximo para despojá-lo; e a mim tu me esqueces – oráculo do Altíssimo.
    Muito em breve, porém, vou bater palmas devido às pilhagens que tens feito e ao sangue em ti derramado.
    Poderá resistir teu coração, tuas mãos poderão agüentar, ao chegarem os dias em que eu me levantar contra ti? Sou eu, o Altíssimo, que o digo, e que o executarei.
    Eu te disseminarei entre as nações, te dispersarei através dos povos. Limparei totalmente a tua mancha,
    serás aviltada, por tua culpa, aos olhos das nações, e reconhecerás assim que sou eu o Senhor.
    A palavra do Altíssimo foi-me dirigida nestes termos:
    Filho do homem, a casa de Israel tornou-se para mim escória. São todos {como} cobre, estanho e ferro e chumbo no cadinho: são escória da prata.
    Por isso, eis o que diz o Altíssimo: já que todos vós sois escórias, vou reunir-vos em Jerusalém.
    Do mesmo modo como se ajunta no meio do forno a prata, o cobre, o ferro, o chumbo e o estanho, e como se atiça o fogo sobre eles para fundi-los, do mesmo modo, no furor da minha cólera, eu vos amontoarei todos juntos lá para vos fazer fundir.
    Eu vos reunirei e atiçarei sobre vós o fogo do meu furor, para vos fazer fundir em Jerusalém.
    Semelhantes à prata, que se funde no cadinho, sereis fundidos no meio da cidade e assim reconhecereis que sou eu, o Senhor, que desencadeei sobre vós o meu furor.
    A palavra do Altíssimo foi-me dirigida nestes termos:
    filho do homem, dize a Jerusalém: és uma terra que não recebeu nem chuva nem aguaceiro, na estação da cólera.
    Há em teu seio uma conspiração de príncipes. Como o leão que ruge, que arrebata a presa, eles devoram as pessoas, tomam-lhes os bens e as riquezas, e multiplicam as viúvas.
    Seus sacerdotes violam a minha lei, profanam o meu santuário, tratam indiferentemente o sagrado e o profano e não ensinam a distinguir o que é puro do que é impuro; fecham os olhos para não ver os meus sábados; no meio deles a minha santidade é profanada.
    Seus chefes lá estão como lobos que despedaçam a presa, derramando sangue, perdendo vidas para tirar proveitos.
    Seus profetas cobrem tudo com uma argamassa: têm visões de mentira e oráculos enganadores. Dizem: eis o que diz o Altíssimo, quando nada disse.
    A população da terra se entrega à violência e à rapina, à opressão do pobre e do indigente, e às vexações injustificáveis contra o estrangeiro.
    Tenho procurado entre eles alguém que construísse o muro e se detivesse sobre a brecha diante de mim, em favor da terra, a fim de prevenir a sua destruição, mas não encontrei ninguém.ED
    Por isso vou desencadear sobre eles o meu furor e exterminá-los no fogo da minha exasperação; farei cair sobre eles o peso de sua conduta – oráculo do Altíssimo.”

    Your comment is awaiting moderation.
    maio 20, 2013 até 2:47 pm · Reply
    Caro Francisco Bendl, veja porque assim se porta quem faz de Brasília, a Libertina do Brasil, em:
    http://www.youtube.com/watch?v=AVRzqsCS9UM
    http://www.youtube.com/watch?v=noELJjEJ1DU

  • Francisco Bendl

    Olha, JJ Antunes,
    Tu podes discordar da posição daqueles que são contra o modo de tratamento de Israel para com a Palestina, tens liberdade para te expressar como queres. Porém, não te dou o direito de afirmares o que não sou quando me chamas de “comuna”, pois enveredas para conclusões pessoais sem qualquer fundamento, além de mentirosas e ridicularizando o teu comentário mais ainda no ataque que fazes aos árabes, denotando que não queres a PAZ entre judeus e palestinos, mas o aniquilamento deste povo.
    Desta forma, a tua opinião fica comprometida por sentimentos que não são os nossos, que clamam por Justiça e equilíbrio nas decisões israelenses com referência à Palestina, e não o extermínio árabe, tampouco que Israel não tenha o seu Estado reconhecido por estes e devidamente respeitado!
    Basta de segregacionismo, Antunes. Queremos gente disposta a colaborar para o entendimento entre as pessoas, e não acirrar posições cujo antagonismo dificulte as relações amistosas entre seres humanos.
    Mais a mais, afora a Guerra dos Seis Dias, Antunes, os árabes foram também derrotados na Guerra do Yom Kippur, o Dia do Perdão, em 1973. Esta que mencionaste foi em 1967, notabilizando a Força Aérea israelense com seus Mirage e o general Moshe Dayan, que usava um tapa-olho na vista esquerda.

  • Francisco Bendl:
    O Sr. já foi melhor, quando se dizia humanista, pacifista, “ético”. Agora se tornou um “pacifista” sui generis,escrevendo panfletos para agradar a sua plateia. Indiretamenteo Sr. apoia os homens bomba, defende os que lançam foguetes contra as famílias de Israel, e faz apologia a umaguerra comercial suja contra Israel, como se este tipo de guerra não fosse prejudicial aos judeus, como se não resultasse em grandes mazelas.
    As suas palavras: ”Porém, não te dou o direito de afirmares o que não sou quando me chamas de “comuna”, pois enveredas para conclusões pessoais sem qualquer fundamento, além de mentirosas e ridicularizando o teu comentário mais ainda no ataque que fazes aos árabes, denotando que não queres a PAZ entre judeus e palestinos, mas o aniquilamento deste povo.”. Não te dou o direito? Já lhe pedi algum direito? O Sr. se acha plenipotenciário, de que? Quem o Sr. pensa que é? Se assumisse o socialista-comunista que verdadeiramente é ficaria mais bonito, autêntico, mas o Sr. é murista, enrustido.
    Falta-lhe coragem moral para apontar as monstruosidades do Islã, denunciar o criminoso Ahmadinejad, que prometeu riscar do mapa Israel, e que negou a veracidade do Holocausto.O Sr. se esquece de mostrar as atrocidades dos talibãs, o tratamento cruel dispensado as mulheres sob o Islá, o obscurantismo dos regimes teocráticos inspirados no Islamismo. Pior ainda, o Sr. se esquece de dizer que Israel é um pais democrático, onde todos se expressam, e como é sabido, os comunistas israelenses, em minoria, possuem partido político representativo.
    Israel continuará sendo um pais forte, cercado de inimigos, querendo ou não o Sr. Os judeus são vitoriosos, guerreiros, criativos, destemidos, heroicos. O povo judeu, como nenhum outro, superou todas as dificuldades, e se manteve unido apesar de todas as perseguições, ao longo da História.
    Tire o seu cavalinho da chuva, pois Israel, como sempre, destruirá os seus inimigos, são predestinados para ganhar. Lembre-se,Sr. Francisco Bendl, o ódio que a maioria dos articulistas deste Blog destila contra Israel, só fará mal a eles próprios. Nada somado a coisa nenhuma, resulta em zero, à esquerda.

  • Francisco Bendl

    J.J. Antunes,
    Afora as tuas conclusões a meu respeito continuarem erradas, despropositais e demonstrando suprema ignorância sobre a minha pessoa, que não te ofendeu, mas apenas deixou registrado o que pensa com relação ao conflito árabe-israelense, do teu texto acima obtenho o teu pensamento com relação aos povos árabes: EXTERMÍNIO!
    Da mesma forma que acusas os árabes de terrorismo – e concordo contigo em se tratando de suicidas que levam consigo a vida de inocentes onde eles se explodem -, evitas propositadamente citar a mesma prática dos israelenses contra mulheres, crianças e idosos, ao jogarem seus mísseis dos helicópteros em direção ao povo palestino indefeso.
    Um ato covarde, prepotente, que denota o desprezo pela vida de outras pessoas que não judias, exatamente na mesma proporção da crueldade dos homens-bombas para com os israelenses.
    Por outro lado, tuas ofensas não me aborrecem como gostarias, pois noto que és uma pessoa desequilibrada, tendenciosa, que desconhece a realidade dos palestinos e seus esforços para viver mediante racionamento de água, remédios e comida!
    Mais a mais, não sou socialista-comunista, dedução mal intencionada da tua parte, haja vista que meus comentários anteriores provam exatamente o contrário. Quanto a ser “murista”, a minha posição com relação aos palestinos está clara, insofismável, assim faço o mesmo com Israel e seu direito de existir e de acordo com o território onde está localizado seu Estado.
    Não concordo com a agressão aos árabes em proporções descabidas e exageradas, além do poderio em armamentos incomparável.
    Se tu não entendeste este posicionamento, a ponto de vires com meia dúzia de pedras e agindo como a gurizada palestina, o ódio é teu e não nosso, que temos a coragem de denunciar este tratamento condenável de Israel para com a Palestina.
    Por outro lado, J.J., tenta te aprofundares mais nesta questão sobre “heroísmo”, “destemor” e predestinações, antes de vociferares impropérios e palavras inócuas e sem sentido algum com o tema que ora está em debate.
    E, sou, sim, um cidadão que tu não sabes respeitar, razão pela qual não tens o direito de agredir ou ser mal educado em nome de um país invasor ou conforme tuas interpretações obtusas sobre esta questão delicada e complexa entre árabes e judeus.
    Se não sabes tratar bem um brasileiro, da tua mesma nacionalidade, quem és tu para interpelar quem quer que seja sobre povos estrangeiros?
    Primeiro, cuida de viveres em Paz com aqueles do teu próprio País, para depois opinares com referência às revoltas entre nações que não encontram a fórmula adequada para coexistirem pacificamente ou, por acaso, queres o mesmo para o Brasil?

  • Observando de longe os comentários sobre o conflito entre Israel e Palestina, o sr. J.J. cometeu excessos condenáveis contra um comentarista que tem se mostrado sério e educado com os participantes deste Blog.
    Simplesmente não pode ter sido um brasileiro que escreveu as palavras dirigidas ao sr. Bendl pela raiva incontida contra os frequentadores do Blog Tribuna da Imprensa, que expuseram suas razões para criticar o Estado judeu, mas não contra Israel em si, menos ainda contra seu povo!
    O objetivo foi a violência e crueldade usadas pelos israelenses contra um povo frágil, hostilizado, com suas terras sendo tomadas gradativamente por assentamentos irregulares e patrocinados por Israel e aval de seus líderes políticos.
    Por que o ódio do sr. J.J., e trazendo para o foro pessoal questões de ordem internacional, sequer brasileiras?
    A atuação do sr.J.J., me faz lembrar a patrulha petista, permanentemente atenta para impedir críticas ao PT e seus comandantes, valendo-se da desqualificação do oponente, injúrias e ofensas para amedrontá-lo em possíveis reações ou continuidade nas suas avaliações.
    Ora, Israel está imune a comentários acusando procedimentos indevidos para com os palestinos?
    Israel é intocável?
    Os israelenses seriam infalíveis?
    Por favor, os que fecham os olhos à crueldade israelense contra a Palestina não possuem condições de participar de debates onde a questão entre aqueles dois povos é colocada em pauta.
    O sr. Bendl apresentou seu pensamento sobre o conflito, mas o sr. J.J. personalizou a discussão, partindo para o ataque pessoal, perdendo por completo a razão e qualquer argumento em benefício do país que demonstra mais do que simpatia, mas um fervor que eu gostaria de saber se seria o mesmo em se tratando da nossa nação, o Brasil!

  • O sr.Antunes poderia ter usado os argumentos favoráveis a Israel e a defesa que fez dos métodos empregados contra os palestinos, declinando em objetivar a questão pessoalmente, e provocando o sr. Francisco desnecessariamente mediante apoio irrestrito a Israel através de ataques pessoais.
    Errou!
    Deveria continuar enfatizando o lado positivo da nação judaica, mas não ofendendo o comentarista que se posicionou contra a reação desmesurada de Israel quando atacado por foguetes ou atentados terroristas.
    A proporção de mortes de israelenses com os árabes extrapola a alegação que se trata do direito de Israel em se defender, condição indiscutível, entretanto, que a dose do remédio não fosse mais letal do que possibilitar que o sabor amargo também se tornasse um poderoso veneno!
    Os participantes do Blog precisam entender que as discussões devem ficar no plano das idéias, e não personalizar o debate, evitando a renovação do episódio que aconteceu recentemente neste espaço onde palavras de baixo calão foram usadas como meio de divulgação de antipatias entre alguns comentaristas.
    Bom, era só o que faltava entre nós, entrarmos em conflitos pessoais justamente em razão de haver a mesma situação entre nações a milhares de quilômetros do Brasil que não se entendem, que se agridem, que não se respeitam, que não consideram que vidas inocentes devem ser poupadas!

  • Pingback: Salve a nossa terra, onde árabes e judeus se entendem! | Debates Culturais – Liberdade de Idéias e Opiniões

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *