Vergonha: a CUT vai as ruas em defesa dos ‘mensaleiros’

Milton Corrêa da Costa

A Central Única dos Trabalhadores, entidade sincalista ligada diretamente ao então partido das vestais (PT), criticava tudo que era amoral e antiético no país e agora sairá as ruas (quem diria?) para cobrar do Supremo Tribunal Federal um julgamento técnico e não político dos mensaleiros (muitos filiados ao PT) acusados de formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito, num esquema ardiloso de propina, que corrompia parlamentares, conforme disse o denunciante, o então deputado federal Roberto Jefferson (PTB), cassado em seguida, e também acusado no processo.

Antes do início da votação, na Câmara Federal, que o cassou em 2005, Jefferson fez um duro discurso contra o PT e o presidente Lula, com “farpas” para o relator de seu processo de cassação – Jairo Carneiro (PFL-BA): “Tirei a roupa do rei. Mostrei ao Brasil quem são esses fariseus”, gritou Jefferson, ao final do discurso, em uma referência aos integrantes do PT envolvidos no escândalo do Mensalão.

Dias atrás, como se não bastasse a tentativa (antiética) do ex-presidente Lula para empurrar, para depois das eleições municipais, o julgamento do processo do ‘mensalão’, há mais de 6 anos em apuração, para fazer cair no esquecimento o maior escândalo da história republicana deste país, o deputado federal André Vargas (PR), secretário nacional de comunicação do PT, tentou desacreditar, perante a sociedade brasileira, a independência e a honradez do próprio Supremo Tribunal Federal.

“Já imaginávamos que ia ter pressão, mas não imaginávamos que segmentos do Supremo seriam tão suscetíveis assim. Infelizmente , as ações do Supremo não são cercadas de austeridade exigida para uma Corte Suprema. Ministro do Supremo não é para ficar sendo aplaudido em restaurante por decisão contra o PT. Nos EUA, eles não podem nem tirar foto, mas aqui tem ministro do Supremo com vocação para pop star”, disse o parlamentar.

Ou seja, tentam de todas as formas possíveis e antiéticas enlamear o Supremo Tribunal Federal e consequentemente a seriedade do julgamento do esquema do ‘mensalão’. No entanto, a sociedade brasileira, em nome do estado democrático, tem o direito à verdade e de ver punidos, com o máximo rigor da lei, os que forem julgados culpados. Que o seja o mais breve possíveli.

A Central Única dos Trabalhadores posiciona-se, no episódio do mensalão, ao lado do corporativismo, na tentativa desesperada de encobrir a lama na política. Profundamente lamentável. Que se indigne o povo brasileiro contra a falta de ética e decência na política e contra o sindicalismo tendencioso. Os caras-pintadas que compareçam as ruas para sufocar o grito insensato da CUT. Urgentemente, dentro da lei e da ordem democrática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *