Delegado Claudio Guerra está delirando em suas recordações

Antonio Santos Aquino

O tal delegado Claudio Guerra, baseado no que aparece sobre o que foi dito em seu livro, está misturando muita coisa. Só para lembrar: ele fala em um delegado ex componente da Scuderie Le Coc, que teria sido assassinado com uma metralhadora especial mandada pelos americanos. Seria uma queima de arquivo.

O tal delegado não era delegado, era um policial. A metralhadora era própria para assassinatos e descartável. Queima de arquivo não bate. Na verdade o crime foi um acerto de contas da máfia do jogo dos bichos. A vítima foi Mariel Mariscot.

Claudio Guerra tinha ligações com o tristemente famoso “capítão Guimarães”. Esteve envolvido em inúmeros assassinatos de bicheiros em Vitória do Espírito Santo. Depois da limpeza Guimarães entrou como banqueiro e ele tornou-se dono de pontos. Aqui no Rio este bandido andava nos clubes extorquindo.

Estou dizendo, quem quiser que acredite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *